terça-feira, 29 de setembro de 2009

Homeopatia mata

Gloria Sam era um bebê como todos os outros. Nascida na Austrália de pais com nível universitário, tinha tudo para crescer feliz. Isso não aconteceu devido a um eczema. Eczemas são irritações na pele decorrentes de alguma inflamação. Causam coceira e o ato de coçar só piora a situação. As causas podem ser diversas, mas o tratamento é relativamente simples, em geral envolvendo a aplicação tópica de um corticóide. O corticóide não cura o eczema, mas reduz ou elimina seus sintomas permitindo que o corpo se recupere. Na maioria dos países, pode-se comprar um creme corticóide em farmácias sem necessidade de receita médica.
Como muitos outros bebês pelo mundo, aos 4 meses Gloria apresentou um eczema. Como em qualquer situação desse tipo, os pais de Gloria, Thomas e Manju, decidiram procurar ajuda médica. O único problema é que Thomas é um homeopata e buscou atendimento com pediatras homeopatas. Os homeopatas receitaram tratamento homeopático. Algumas gotas de algum princípio ativo com nome em latim diluído até que nenhuma molécula estivesse nas gotas foram administradas seguindo rigorosamente as indicações do pediatra homeopata.
Com um tratamento adequado, o eczema de Gloria deveria ter se resolvido em algumas semanas. No entanto, com o tratamento homeopático a situação só se agravava. A pele desprotegida é uma porta aberta para infecções. Gloria contraiu uma infecção. Infecções podem ser tratadas com antibióticos. Os homeopatas preferem ministrar preparados com nomes latinos diluídos até que nenhuma molécula do princípio ativo esteja presente nas gotas. Efeito no máximo igual ao placebo, ou seja, efeito nenhum. A infecção de Gloria piorou. Seu corpo passou a usar toda a energia que recebia pela alimentação para combater a infecção. Apesar de normalmente alimentada ela chegou a um quadro grave de desnutrição. Os pais insistiram no tratamento homeopático e a levaram para visitar a família na Índia, onde recebeu mais tratamento homeopático. Após voltar à Austrália, percebendo que Gloria não melhorava os pais decidiram levá-la a um hospital infantil. Ela tinha um quadro de desnutrição, irritação severa na pele e infecção no globo ocular. Teve que receber morfina para a dor e finalmente foi tratada com antibióticos. Infelizmente isso foi tarde demais para Gloria. Ela morreu três dias depois aos nove meses e meio de idade. Isso ocorreu em 2002.
Os pais de Gloria foram presos e julgados pela justiça australiana por homicídio culposo, onde não há a intenção de matar. A sentença acaba de ser pronunciada. O pai deve ficar pelo menos seis anos e a mãe pelo menos 4 anos na cadeia.
Há mais informação sobre o caso no excelente Ceticismo Aberto, e em inglês no RichardDawkins.net.
Como pai, não consigo concordar com a condenação ao casal. Eles fizeram o que entendiam ser o melhor para sua filha. Usaram uma forma de tratamento usada por eles mesmos, praticada por alguns médicos e reconhecida por parte da sociedade.
Parece-me que os verdadeiros culpados por esse caso (e por vários outros que ocorrem pelo mundo) são os que validam uma prática baseada em princípios não-científicos como especialidade médica e afirmam para a população que estão curando. De fato estão, mas nada além do efeito placebo. No Brasil a homeopatia é legalmente considerada especialidade médica, com título de especialista outorgado pela Associação Médica Brasileira. O fato de ser especialidade reconhecida é seguidamente usado como argumento a favor de tratamentos homeopáticos. Reconhecimento legal ou por uma sociedade profissional não eleva uma disciplina categoria de ciência. Do ponto de vista científico, tratar-se com homeopatia não é diferente de tratar-se com uma reza forte ou com o pai-de-santo. Há poucos anos um ex-conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo publicou na grande imprensa um artigo sugerindo que o status legal da homeopatia fosse rediscutido. Que eu saiba até agora nada foi feito. Meu seguro de saúde torra recursos pagando consultas e tratamentos homeopáticos, comprovadamente inócuos (inócuo nesse contexto significa de eficácia igual à do palcebo).
Grave é a sociedade validar como aceitável uma prática médica baseada em princípios nunca comprovados cientificamente. Gloria e seus pais são vítimas disso.

Agradeço ao Hecton por ter me indicado essa notícia. Esse caso me tocou particularmente porque uma criança muito próxima teve um eczema tratado com "óleos essenciais" segundo a conduta indicada por uma médica antroposófica (uma corrente de tratamento ainda mais radical que a homeopatia). A situação só reverteu devido à atuação da avó que fez com que fosse a um pediatra. O quadro estava agravado mas foi resolvida com alguns meses de aplicação de corticóides. Infelizmente Gloria não teve a sorte de ter uma avó esclarecida.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

II EWCLiPo

O primeiro foi um sucesso. O segundo com certeza será. Nesse final de semana estaremos todos lá em Arraial do Cabo, no II Encontro de Weblogs Científicos em ngua Portuguesa. Adoro a sigla. A programação completa está no Bioletim.
O movimento de blogs científicos em português vem crescendo e pode um dia fazer alguma diferença. É só olhar os comentários que recebemos, ora simpáticos, ora irados.
Parabéns ao Mauro Rebelo do Você que é biólogo pelo árduo e competente trabalho de organização.
Vai ser muuuuuito legal!
Creative Commons License
Os direitos de reprodução de Cultura Científica são regulados por uma Licença Creative Commons.